sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Tribunal de Contas recomenda exoneração de 94 servidores municipais em Assú

Servidores ameaçados de demissão promoveram assembleia na quinta 14/12, na Câmara Municipal de Assú

Em relatório circunstanciado, o Tribunal de Contas do RN recomendou a exoneração de 94 servidores municipais que ingressaram através do concurso público do município de Assú, convocados durante os anos de 2015 e 2016. Em resposta à recomendação do TCE, a Prefeitura de Assú emitiu o Decreto nº 040, de 14/12/17, autorizando a Secretaria Municipal de Administração a indicar “prováveis expurgos em sua atual composição” no quadro dos servidores.

Buscando uma solução alternativa, os servidores municipais ameaçados de exoneração se reuniram em Assembleia na Câmara Municipal de Assú na manhã da quinta-feira 14/12. A ameaça de demissão abrange diversas categorias, incluindo profissionais da enfermagem, psicólogos, médicos, servidores da educação -  que já trabalham há mais de três anos na cidade, exercendo funções relevantes no serviço público para a população de Assú e região.

O prefeito de Assú, Gustavo Soares, entende como inevitável a adoção de medidas que venham a cortar despesas com o pessoal. A ação prioritária apontada pelo relatório ref. Ao processo nº 19097/2014 é a nulidade das “94 vagas criadas a mais que o edital”, bem como a exoneração dos servidores não estáveis.

A Lei de Responsabilidade Fiscal, invocada pelos órgãos do Estado, está sendo usada mais uma vez para acelerar o sucateamento e a destruição dos serviços públicos essenciais, neste caso atentando contra a rede de atenção básica do município de Assú. Não esquecemoso TAC nº 138, em, que o Ministério Público, usando de justificativas similares,opinou pela desativação de sete hospitais regionais no interior do Estado, o que gerou indignação e incitou o povo a tomar as ruas. A Constituição trata sim sobre o controle das contas públicas, mas trata também sobre o direito de todo o cidadão à saúde, dever do Estado. Juntamente dos servidores prejudicados, o Sindsaúde opina que existem outras áreas em que a Prefeitura de Assú possa reduzir gastos, tal como a demissão dos cargos comissionados e redução de salários dos Prefeitos, secretários e assessores.




A ação prioritária apontada pelo relatório ref. Ao processo nº 19097/2014 é a nulidade das “94 vagas criadas a mais que o edital”, bem como a exoneração dos servidores não estáveis.

Confira o álbum de fotos da assembleia

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Natal do Sindsaúde Mossoró ocorre neste sábado 16/12


Convidamos todas as servidoras e servidores da saúde associados ao nosso sindicato para participar da nossa tradicional confraternização natalina.
A festa vai ocorrer no sábado 16/12, no clube da Associação do Hospital Tarcísio Maia, a partir das 16h. A entrada é livre para as sócias e sócios, que poderão levar, no máximo, 2 acompanhantes por pessoa. Garanta sua senha na sede do Sindsaúde Mossoró, na R. Prudente de Morais, 940.
Mais informações: (84) 3316 - 9518

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

05/12: Fórum dos Servidores do Oeste Potiguar na luta contra as reformas



Na manhã deste dia 05/12 o Fórum dos Servidores do Oeste Potiguar promoveu três atos públicos em distintos locais da cidade. As mobilizações tiveram como objetivo alertar à população da intenção do governo de votar a Reforma da Previdência ainda esse mês, o que vai aumentar o tempo mínimo de contribuição e colocar severas limitações ao direito de aposentadoria.
A mobilização começou as 07h no INSS, com um ato seguido de café da manhã. Servidores do INSS, além de grevistas da saúde, DETRAN e EMATER discursaram para as trabalhadoras e trabalhadores presentes, alertando para os malefícios da proposta do governo.
As 09h, uma caravana de servidores seguiu para o ato-assembleia dos servidores da UFERSA que estava ocorrendo naquele momento, no Centro de Convivência. Marcou-se um momento de solidariedade entre as diferentes categorias, unidas por uma mesma luta comum em defesa da aposentadoria.
As 10h, a caravana do Fórum dos Servidores seguiu para o Hospital Regional Tarcísio Maia, onde o dia de luta se encerrou com um ato junto dos servidores do HRTM em greve há 22 dias. Somaram-se à mobilização representantes do SINTE, SINDPETRO e da Marcha Mundial das Mulheres.
Nacionalmente, as centrais sindicais marcaram a greve nacional para este dia 05/12. Porém, de última hora, desmarcaram o dia de luta, dando mais fôlego para o governo Temer. Exceção seja feita CSP-CONLUTAS, CTB e INTERSINDICAL que disseram não ao recuo e seguiram a agenda de mobilizações, inclusive em Mossoró. Saudamos a todas as organizações que não recuaram nesta grande batalha contra a Reforma da Previdência, batalha que a classe trabalhadora trava com tanto vigor.

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Nota do Sindsaúde Mossoró sobre os descontos aleatórios nas fichas financeiras dos servidores municipais

Vários servidores municipais associados ao Sindsaúde Mossoró reclamaram que sua ficha financeira apontava descontos abusivos em suas folhas salariais para o sindicato. Uma sócia, agente de saúde dos Teimosos, apontou um desconto de R$198,14, outra apontou um desconto de R$84! Informamos que o desconto das sócias e sócios do sindicato sempre foi de apenas 1% do salário bruto. Não sabemos o motivo da Prefeitura de Mossoró estar realizando descontos aleatórios na ficha financeira dos servidores municipais.

O Sindsaúde Mossoró informa aos sócios do município que ainda não recebeu qualquer valor referente ao repasse sindical do mês de novembro. Exigimos que a Prefeitura de Mossoró esclareça a razão de estar realizando descontos com valor indevido e aleatório dos nossos servidores associados - gerando desentendimentos com a base – bem como corrija o valor dos descontos que vieram com valor inexplicável.

 Além disso, caso a Prefeitura de Mossoró aja com negligência e realize descontos aleatórios na folha salarial dos servidores que venham a cair na conta bancária do sindicato, o Sindsaúde Mossoró se compromete a ressarcir todos os descontos indevidos, além de tomar as medidas judiciais cabíveis contra a Prefeitura de Mossoró.

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Greve da saúde se fortalece em Mossoró

Ato público de 9 dias da greve contou com servidores ativos e aposentados de diferentes unidades
Na manhã desta quarta-feira 22/11 servidores ativos e aposentados do Hospital Tarcísio Maia, HEMOCENTRO e do LAREM promoveram um ato público na porta do Hospital Tarcísio Maia. O ato contou com a participação de Goreth Alves, artista e funcionária aposentada do HRTM, que se apresentou em apoio aos grevistas.

O cerceamento judicial do exercício da greve, a despeito do que pensavam muitos, não enfraqueceu a greve da saúde. A tentativa do governo de judicializar a greve está tendo o efeito contrário: fazendo as trabalhadoras e trabalhadores tomarem a consciência da importância de se lutar em defesa de seus direitos mínimos. Uma prova disso foi a dimensão que este ato tomou, em que trabalhadores de diferentes locais vieram se unir para protestar contra o governo estadual nas portas do Tarcísio Maia. Ontém servidores do Hospital Giselda Trigueiro e do Hospital Rafael Fernandes aderiram à greve. Hoje, no nono dia do acampamento na governadoria, ADUERN e Sindsaúde conquistaram enfim uma audiência com o governador Robinson Faria - momento em que reivindicarão um calendário de pagamento e os salários em dia.

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Parada Nacional contra as Reformas da Previdência e Trabalhista ganha as ruas do Centro de Mossoró



Na manhã da sexta-feira 10/11 cerca de mil pessoas se reuniram em protesto contra a Reforma da Previdência e Trabalhista. Estiveram presentes servidores estaduais da educação, saúde, servidores federais da UFERSA e INSS, petroleiros, além da juventude. A manifestação se concentrou nas proximidades do Arte da Terra, onde interditou a ponte da Av. Presidente Dutra cerca de uma hora, seguindo em marcha até a Caixa Econômica Federal. Os manifestantes exigiam a derrubada do governo Temer e a revogação das reformas antipopulares.

A Reforma Trabalhista foi aprovada em 11/07, passando a ser implementada a partir deste sábado 11/11. Impondo o princípio do “negociado sobre o lesgislado”, a aprovação da reforma faz com  que os “acordos” entre patrão e empregada valham mais que a lei trabalhista. O que tinha força de lei, agora se torna moeda de troca. Por exemplo, a jornada de trabalho pode ser elevada para até 12 horas por dia, o intervalo intrajornada poderá ser reduzido para até 30 minutos, o acesso à justiça do trabalhador fica cerceado, uma vez que será obrigado a pagar as custas do processo trabalhista que vier a perder; entre tantas outras mudanças prejudiciais a trabalhadora e ao trabalhador brasileiro.


O Governo Temer, por sua vez, promete aprovar a Reforma da Previdência ainda nesse mês de novembro. O aumento da idade mínima e do tempo de contribuição para a aposentadoria é medida rechaçada por mais de 70% do povo brasileiro, levando milhões de pessoas às ruas na Greve Geral do dia 28 de abril, bem como na ocupação de Brasília dia 24 de Maio e a última parada nacional dia 30 de junho, desmontada pelas centrais. É necessário perseverar na luta para conseguir barrar a Reforma da Previdência, que Michel Temer e este Congresso de corruptos comprados tem tanto interesse em aprovar.

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Clínica cirúrgica do Tarcísio Maia amanhece repleta de rachaduras

Setor foi inaugurado há menos de um ano com recursos da Maçonaria


Profissionais da saúde que trabalham na Clínica Cirúrgica do HRTM começaram seu dia assustados. Na manhã de 26/10, fissuras apareceram em várias partes do setor, por vezes percorrendo paredes inteiras. O setor é a parte mais nova do HRTM, o que causou o espanto das trabalhadoras e trabalhadores do hospital. A obra, que estava parada há anos, sem qualquer perspectiva de conclusão por parte do Governo do RN, só foi concluída após a doação da Maçonaria.

As fissuras na parede surgiram de maneira súbita, e podem ainda aumentar. O Corpo de Bombeiros chegou a visitar o local, mas não publicou qualquer parecer. O Sindsaúde Mossoró reinvindica que a direção do HRTM promova uma vistoria no setor para avaliar os riscos envolvidos no aparecimento súbito das rachaduras.




Confira o vídeo-denúncia do Sindsaúde Mossoró:



terça-feira, 10 de outubro de 2017

Copa do Sindsaúde Mossoró: acompanhe aqui o calendário e os placares

A competição futebolística dos sócios do Sindsaúde Mossoró já está acontecendo! Todos os domingos ocorre uma rodada de jogos, envolvendo servidores da saúde de todo o oeste potiguar. Confira aqui o calendário dos jogos, com o placar, atualizado toda semana no blog do Sindsaúde Mossoró.


quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Robinson Faria faz visita surpresa ao Hospital Rafael Fernandes




Robinson Faria faz visita surpresa ao Hospital Rafael Fernades; Sindsaúde esteve presente O governador Robinson Faria realizou visita-relâmpago ao Hospital Rafael Fernandes, em Mossoró/RN, na manhã desta quarta-feira 04 de outubro. O Hospital ganhou visibilidade na imprensa após a denúncia promovida pelo Sindsaúde Mossoró sobre a suspensão dos atendimentos, que ja foi sanada graças à pressão da sociedade. 

Apesar de não ter sido convidada, a diretoria regional do Sindsaude Mossoró foi até o Hospital Rafael Fernande. O governador prometeu a realização do contrato seletivo, inclusive de ceder médicos para o hospital mossoroense. João Morais e Jussirene, diretores regionais do Sindsaúde Mossoró, cobraram "nenhum hospital a menos" ao governador, e defendeu o pagamento dos salários dos servidores em dia. O Sindsaúde se manterá atento ao cumprimento das palavras do governador.

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Falta de médicos plantonistas leva a nova suspensão de atendimentos no Hospital Rafael Fernandes

Hospital Rafael Fernandes sem médicos a partir do dia 28 de setembro

O Hospital Rafael Fernandes sofre com a falta de médicos plantonistas novamente. A partir do dia 28 deste mês, a escala de plantão já se encontra vazia. Com a escala médica incompleta, o Hospital já não pode receber novos internamentos. Pacientes portadores de doenças infectocontagiosas, que deveriam ser atendidos na unidade, ficam impossibilitados de serem internados. Pelo menos (3) três pacientes com quadro de tuberculose, que deveriam estar internadas no Hospital Rafael Fernandes, se encontram no Hospital Tarcísio Maia aguardando atendimento.

O Sindsaúde Mossoró denunciava situação similar quatro meses atrás, quando promoveu um ato público em defesa do Hospital Rafael Fernandes:

O Hospital Rafael Fernandes é o único centro de saúde para tratamento de doenças infecto-contagiosas de Mossoró e oeste potiguar. Portanto, cumpre uma função essencial que não pode ser substituída por nenhuma outra unidade hospitalar, sob risco de epidemia. Entretanto, o que está acontecendo é que pacientes com doenças como tuberculose, meningite, etc. estão buscando atendimento e se deparando com portas fechadas, por conta da suspensão de atendimentos. 

Enquanto o Governo do Estado discute o fechamento ou a municipalização dos Hospitais Regionais de Apodi, Angicos e Caraúbas, alegando que tais medidas iriam beneficiar o Hospital Rafael Fernandes, o que a população de Mossoró e do RN  percebe bem o contrário. O descaso e o sucateamento na saúde pública é geral, e os governos não investem no SUS porque tem interesses de beneficiar a saúde privada e as grandes empresas, tais como a OAS envolvida no escândalo do Arena das Dunas. Exigimos nenhum hospital a menos, e que o Governo do Estado complete a escala médica do Hospital Rafael Fernandes e dos demais hospitais que sofrem com as carências de profissionais e materiais hospitalares

domingo, 24 de setembro de 2017

Começou o Campeonato do Sindsaúde Mossoró!


Na manhã deste domingo 24 de outubro, no clube da CAERN, ocorreu a abertura do campeonato de futebol dos sócios do Sindsaúde Mossoró. 

Na ocasião,  houveram duas partidas: na partida inaugural, os agentes de endemias empataram em 2 x 2 com o time do Hospital Regional Tarcisio Maia. Na segunda do dia, os servidores da saúde de Assu venceram o time do Hospital Rafael Fernandes por 4x2.

Os jogos seguirão ocorrendo regularmente todos os domingos,  com os seis times jogando todos entre si em sistema de pontos, conforme calendário divulgado pela diretoria esportiva do Sindsaúde Mossoró.



sábado, 23 de setembro de 2017

Por que o IPERN está recusando atestados de médicos cubanos em Mossoró?

Atestado médico recusado pelo IPERN

A junta médica do IPERN está recusando atestado de médicos cubanos em Mossoró. Esta situação veio à tona após denúncia de trabalhador da saúde, que preferiu não se identificar. Este servidor consultou-se com um profissional do programa “Mais Médicos” na UBS Dr. Cid Salém Duarte, no Abolição IV. Enviando o atestado para a junta médica do IPERN, a surpresa é que o atestado foi recusado. O servidor da saúde, apesar de necessitar de 30 dias de afastamento, está sendo obrigado a trabalhar. Mas se estes profissionais são contratados pelos próprios entes públicos para atender à população, por que o IPERN está recusando os atestados de médicos cubanos?

Em resposta à direção do Sindsaúde Mossoró, o IPERN alega que estes profissionais têm irregularidades no cadastro do Conselho Regional de Medicina. Ora, este argumento não prospera, uma vez a Junta Médica do IPERN não tem legitimidade para questionar a regularidade do programa “Mais Médicos” e dos profissionais cubanos que atendem a população. Este é um programa federal, com vários anos de implementação, e que já cumpre papel relevante no atendimento à população brasileira.


Entendemos que esta atitude tem um caráter discriminatório e corporativista. Não cabe à junta médica do IPERN questionar a regularidade dos médicos cubanos em Mossoró, nem em qualquer outro lugar. O Sindsaúde Mossoró repudia esta atitude do IPERN, que além de ser potencialmente xenofóbica, prejudica os trabalhadores que só tem os médicos cubanos para recorrer.