segunda-feira, 19 de junho de 2017

Falta de transporte do Hemocentro impede a realização de cirurgias eletivas

Geladeiras de sangue do Hemocentro estão vazias por falta de exames 

O problema não é a falta de doações, é a falta de transporte que impede a realização dos exames necessários


Alerta para a saúde pública de Mossoró e região: as doações de sangue do Hemocentro não estão podendo ser liberadas. A carência de condições de transporte está impedindo que o sangue doado seja encaminhado até o Hemonorte, em Natal, para a realização da sorologia – procedimento que verifica se o sangue está saudável e pode ser encaminhado para transfusão. A situação levou ao cancelamento de todas as cirurgias cardíacas eletivas bem como ao atraso dos procedimentos cirúrgicos nos hospitais de Mossoró e região.

No presente caso, a falta de combustível dos carros do Hemocentro inviabiliza o transporte das amostras de sangue até Natal. O sangue não pode ser examinado, e portanto não pode ser liberado. Sem as condições de trabalho adequadas no Hemocentro, a saúde pública e também a privada sai prejudicada, pondo vidas humanas em risco.

Por estes e outros motivos, a saúde estadual estará entrando em greve no dia 30 (mesmo dia da Greve Geral contra as Reformas da Previdência e Trabalhista). O Sindsaúde Mossoró exige a regularização da prestação do serviço do Hemocentro, com o abastecimento dos seus veículos e a imediata transferência das amostras de sangue estocadas para a realização dos exames necessários no Hemonorte, em Natal - para que o sangue estocado possa ser liberado para a urgência/emergência e demais cirurgias eletivas.

Acesse aqui o Boletim do Sindsaúde Mossoró

O Sindsaúde Mossoró - a partir de sua assessoria de comunicação - visa pautar a temática da saúde pública sob a ótica da classe trabalhadora, para dialogar com profissionais da saúde e com a sociedade potiguar como um todo. Neste sentido, apresenta o Boletim de Balanço da Gestão, relembrando ''uma trajetória de lutas e conquistas.

Acesse aqui o Boletim do Sindsaúde - Regional de Mossoró:


quinta-feira, 15 de junho de 2017

Eleições regionais do Sindsaúde Mossoró vão ocorrer nos dias 5 e 6 de julho



Durante os dias 05 e 06 de julho, o Sindsaúde Mossoró estará realizando suas eleições para a nova direção regional referente ao triênio 2017-2020. Duas chapas estão concorrendo pela condução do sindicato. As servidoras e servidores da saúde já estão sentindo o clima de campanha no local de trabalho. Todos associados tem direito ao voto.

A CHAPA 1, intitulada “Sindicato Somos Nós, Nossa Força, Nossa Voz” é formada por
  1. João Morais (aux. de saúde no Hospital Tarcísio Maia);
  2. Jussirene Maria (téc. de enfermagem no Hemocentro); 
  3. Rita Alves (téc. de enfermagem no Hospital Tarcísio Maia);
  4. Polianna Oliveira (assistente social no Hsopital Regional de Assú); 
  5. Raimundo Leitão (téc. de Raio-X no Hospital Regional de Apodi);
  6. Luizão Nascimento (auxiliar de saúde no Hospital Rafael Fernandes);
  7. Regina Célia (Agente de Saúde na UBS Dr. José Holanda). 

A CHAPA 2, chamada “Sindicato Para Todos” é formada por:
  1. Aldiclesio Maia (téc. de enfermagem no Hospital Tarcísio Maia)
  2. Luzia Bessa (enfermeira no Hospital Tarcísio Maia)
  3. Francisca Etelvina (téc. de enfermagem no Hospital Regional de Apodi)
  4. Antônia Glória (téc. de enfermagem no Hospital Regional de Assú)
  5. Francisca Valdenir (Téc. de enfermagem e Assistente da Saúde no Hospital Regional de Caraúbas)
  6. Jaqueline Pereira (aux. de saúde bucal no Centro de Saúde de Janduís)
  7. Manoel Ribeiro (aux. de saúde no Hospital Tarcísio Maia).


A Comissão Eleitoral prevê dezesseis urnas ao todo, espalhadas nos hospitais públicos e locais de trabalho com maior número de associados ao sindicato. Além disso, várias urnas móveis viajarão por dezenas de municípios da II URSAP.

Trabalhadora e trabalhador associado ao Sindsaúde de Mossoró e região, não deixe de participar! Nos dias 05 e 06 de julho, mostre sua voz e participe deste importante evento da nossa democracia sindical.


Prestação de contas do Sindsaúde Mossoró de 2016 disponível para consulta



Um sindicato democrático é aquele que é controlado de perto pela base. Isto inclui, além da realização de assembleias, que a direção forneça acesso de todos os dados referentes às contas do sindicato, para que as trabalhadoras e trabalhadores saibam para onde está indo o dinheiro descontado todo mês em seu salário. A prestação de contas sempre foi pública, e disponível para quem quiser em nossa sede própria. Para avançar ainda na transparência e na democracia, estamos disponibilizando para consulta on-line toda a Prestação de Contas referente ao ano de 2016.

 Acesse a Prestação de Contas do Sindsaúde Mossoró de 2016 aqui:






terça-feira, 13 de junho de 2017

Servidores ameaçados de exoneração conquistam permanência em seus cargos


Na manhã da segunda-feira 12/06, uma audiência na Justiça pôs fim ao drama dos mais de trezentos servidores da saúde que ingressaram sub judice após o concurso de 2010, e que estavam sob ameaça de exoneração. Esta é uma grande vitória de todas servidoras e servidores da saúde pública do RN. A exoneração destes servidores, em um momento que os profissionais já sofrem sobrecarga de trabalho, instauraria um caos ainda maior na saúde pública do Estado.

 O Sindsaúde Mossoró assumiu a batalha contra a ameaça de exoneração destes servidores enquanto uma luta em defesa da saúde pública do nosso Estado – e neste sentido colocou toda sua estrutura em defesa destes servidores. Encarregou-se dos processos judiciais, inseriu o tema no debate público, e ofereceu a infraestrutura necessária para as diversas viagens realizadas nesta luta (como para a recepção do governador em Apodi e as várias reuniões em Natal).

Devemos comemorar o resultado favorável aos profissionais ameaçados e à toda saúde pública do Rio Grande do Norte. E reconhecer a importância da organização dos trabalhadores junto sindicato: um instrumento de luta forjado por todos nós, que organiza as trabalhadoras e trabalhadores para mostrar que juntos, temos força, temos vez e temos voz.
João Morais, diretor regional do Sindsaúde Mossoró,participa de audiência com servidores exoneráveis em Natal-RN

Jussirene, diretora regional do Sindsaúde, reúne-se com Robinson Faria em Apodi para negociar saída para exoneráveis




quarta-feira, 31 de maio de 2017

Sindsaúde promove ato em defesa do Hospital Rafael Fernandes



Na manhã desta terça-feira 30 de maio, o Sindsaúde-RN promoveu ato em defesa do Hospital Rafael Fernandes. A atividade denunciou a suspensão dos atendimentos na unidade, causada pela carência de médicos em pelo menos vinte dias do mês. Participaram da mobilização trabalhadoras e trabalhadores do hospital, pacientes, a direção regional de Mossoró - representada por João Morais e Jussirene - e a direção estadual do Sindsaúde-RN - representada por Rosália Fernandes e Lúcia.

O Hospital Rafael Fernandes é o único centro de saúde para tratamento de doenças infecto-contagiosas de Mossoró e oeste potiguar. Portanto, cumpre uma função essencial que não pode ser substituída por nenhuma outra unidade hospitalar, sob risco de epidemia. Entretanto, o que está acontecendo é que pacientes com doenças como tuberculose, meningite, etc. estão buscando atendimento e se deparando com portas fechadas, por conta da suspensão de atendimentos.

Negligenciar o atendimento de pacientes com doenças infecto-contagiosas é atentar contra a saúde pública da sociedade mossoroense. Além disso, o povo potiguar não aceita mais sucateamento e fechamento de unidades hospitalares. Em Mossoró, o governo Robinson já mentiu e atacou o povo pobre, ao fechar o Hospital da Polícia e o Hospital da Mulher. E muitos servidores da saúde - oriundos destas unidades e que hoje trabalharam no Hospital Rafael Fernandes - temem já ter visto este filme antes.

O Sindsaúde denuncia a postura neoliberal dos governos de sucateamento e privatização do serviço público. Exigimos a regularização da escala médica plantonista, com fins a garantir a plena capacidade de atendimento do Hospital Rafael Fernandes, bem como o abastecimento de insumos necessários e a garantia das adequadas condições de trabalho para os funcionários da unidade.

domingo, 21 de maio de 2017

Hospital Rafael Fernandes suspende novos atendimentos

Servidores temem o fechamento da unidade


O Hospital Rafael Fernandes suspendeu novos atendimentos e está recusando admissões.  A medida está em vigor desde o início do mês de maio, e foi motivada pela carência de médicos plantonistas: a escala médica está incompleta durante 20 (dias) deste mês de maio.

O Hospital Rafael Fernandes é a referência no tratamento de doenças infectocontagiosas no oeste potiguar. É o único hospital habilitado para este tipo de casos, cumprindo uma função essencial para Mossoró e região.

Muitos dos profissionais trabalhadoras e trabalhadores do Hospital Rafael Fernandes já são oriundos do Hospital da Mulher, fechado definitivamente  em 2016 pelo Governo Robinson, após o fechamento do Hospital da Polícia - outro ataque à população mossoroense. E muitos procuram o sindicato e temem estar “vendo o futuro repetir o passado”.

Neste sentido, convocamos um Ato em defesa do Hospital Rafael Fernandes, na terça-feira dia 30 de maio de 2017, a partir das 9h. Vamos lutar em defesa deste hospital - patrimônio do povo potiguar - do Sistema Único de Saúde; e contra a política neoliberal do governo Robinson (e também do Governo Temer) de sucatear e privatizar o serviço público.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Sindsaúde Mossoró vai ocupar Brasília neste 24 de maio



Na manhã desta sexta-feira 19/05, o Sindsaúde Mossoró promoveu assembleia junto aos servidores da saúde, no Auditório do Sindsaúde Mossoró. Na ocasião, foram eleitos os nomes da delegação da saúde de Mossoró e região para viajar à capital federal já neste Domingo. 


A mobilização é unificada a partir das Centrais Sindicais e continuidade da greve geral, com dezenas de milhares de pessoas de todo o Brasil viajando ao DF para protestar contra as Reformas da Previdência, Trabalhista, e da Lei das Terceirizações - bem como pela derrubada do governo Temer e de todos os corruptos e reacionários do Congresso.


O Sindsaúde está articulando com o Fórum dos Servidores do Oeste Potiguar e o Fórum Estadual dos Servidores do RN para garantir a participação das trabalhadoras e trabalhadores da saúde de Mossoró e municípios do Oeste Potiguar na Ocupação de Brasília deste 24 de Maio. A delegação irá compor duas Caravanas: parte irá no ônibus junto ao Fórum dos Servidores do Oeste Potiguar - saindo de Mossoró-RN - e parte com a Caravana estadual da Saúde - saindo de Natal-RN.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Rosalba pode ser responsabilizada por improbidade administrativa



A Prefeitura de Mossoró está deixando de repassar a contribuição descontada em folha dos sócios do Sindsaúde – atrasada desde janeiro de 2017. Rosalba Ciarlini, ao “retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício”, pode ser responsabilizada por ato de improbidade administrativa previsto no art. 11, II, da Lei nº 8429/92 – com pena de perda da função pública e suspensão dos direitos políticos, além de multa no valor de até cem vezes o que deixou de repassar.

O desconto sindical em folha decorre do direito constitucional da liberdade sindical e de associação.  No ato de filiação, os próprios trabalhadores e trabalhadoras autorizam expressamente o desconto em seu salário em favor do sindicato. O empregador é mero depositário deste dinheiro, e tem a obrigação de repassar o valor descontado em até dez dias, sob pena de juros de mora – nos termos do artigo 545 da CLT.

Ao reter durante meses os valores que pertencem ao Sindsaúde, e que tem a obrigação de repassar, a Prefeitura de Mossoró atenta contra os princípios da Administração Pública. Além disso, Rosalba Ciarlini (ela própria médica por formação) apropria-se ilegalmente do desconto em folha dos profissionais da saúde do município de Mossoró.


O Sindsaúde Mossoró exige um posicionamento oficial e o imediato pagamento de todas as parcelas atrasadas e retidas ilegalmente pela Prefeitura Municipal de Mossoró – sob pena de tomar todas as medidas judiciais e políticas cabíveis.

sábado, 13 de maio de 2017

Triunfo Potiguar: Servidores marcham à prefeitura em defesa do pagamento de dezembro

Fotos por Agnaldo Gondim

Na manhã desta sexta-feira 12 de maio, os servidores de Triunfo Potiguar marcharam pelas ruas da cidade, em defesa de seu salário do mês de dezembro de 2016, que ainda não foi pago pela atual prefeita Lucia Estevam (PSD). Trabalhadores da saúde também reivindicam o cumprimento do Plano de Cargos, Carreiras e Salários - que apesar de já ser lei desde 2016, ainda não foi implementado. Uma fanfarra animou os manifestantes e acompanhou o protesto, que saiu da Câmara Municipal de Triunfo Potiguar e terminou na porta da prefeitura. Caso a prefeita não pague o salário de dezembro, os servidores discutem entrar em greve.





segunda-feira, 8 de maio de 2017

Triunfo Potiguar: Servidores da saúde ainda não receberam o salário de dezembro

Servidores de Triunfo Potiguar vão parar nesta sexta 12/05 e realizarão ato em frente à Prefeitura a partir das 09h



João Morais e Jussirene, diretores regionais do Sindsaúde,
participaram da reunião
Na tarde desta sexta-feira os servidores da saúde de Triunfo Potiguar promoveram plenária na Câmara Municipal junto à direção regional do Sindsaúde Mossoró, representada no momento pelos coordenadores João Morais e Jussirene. No momento, expôs-se o não-pagamento do salário de dezembro de 2016 - mais de 120 dias atrasado - e o não-cumprimento do Plano de Cargos, Carreiras e Salários - por parte da atual gestora Lucia Estevam. 

Por estes motivos, os servidores deliberaram uma parada de advertência, com manifestação dos servidores nesta sexta-feira 12/05 a partir das 09h, em frente à sede da Prefeitura Municipal.Caso a prefeita não cumpra a lei atendendo as justas reivindicações dos servidores, os servidores da saúde vão discutir a possibilidade de instaurar estado de greve no município.

Servidores da saúde promoveram plenária na Câmara Municipal de Triunfo Potiguar

Servidores gravaram um vídeo de chamada para o ato nesta sexta. Veja aqui:


segunda-feira, 1 de maio de 2017

Greve Geral em Mossoró é marcada por passeata histórica contra Reforma da Previdência


28 de abril de 2017 é uma data que já entrou para a história de Mossoró. Atendendo ao chamado da Greve Geral, mais de cinco mil trabalhadoras, trabalhadores e jovens desceram o Alto São Manoel contra a Reforma da Previdência, trabalhista, e a Lei das Terceirizações - no maior ato popular da história da cidade. O protesto foi convocado pelo Fórum dos Servidores do Oeste Potiguar e conseguiu canalizar a indignação popular contra o atual governo Temer e suas reformas neoliberais.

A imprensa estima que a greve geral ganhou adesão de cerca de 40 milhões de trabalhadores (praticamente 45% da força de trabalho nacional). Além das paralisações, o dia foi marcado por mobilizações massivas de norte a sul do país - com cifras comparáveis apenas a Junho de 2013. Em Mossoró não foi diferente: mais de dez categorias de trabalhadores aderiram à parada e foram às ruas, em atividades que duraram o dia inteiro e culminaram na histórica descida do Alto contra a Reforma da Previdência.
Servidores da saúde defendem Fora Temer e Fora todos os corruptos!

Greve geral na saúde

Pela manhã, o Sindsaúde participou de ato público no Hospital Tarcísio Maia, onde organizou a escala de greve e convocou os servidores a descer o Alto São Manoel pela tarde. A adesão à greve na saúde foi ampla, paralisando os serviços na sede administrativa da saúde - II URSAP, Unicat, Laboratório Regional de Mossoró, Citopatologia, Hospital Tarcísio Maia, Hospital Rafael Fernandes, e as Unidades Básicas de Saúde. 

Confira o discurso de João Morais, coordenador regional do Sindsaúde, no ato histórico da Greve Geral em Mossoró:


Veja também o álbum da Greve Geral em Mossoró: