quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Trabalhadores protestam contra fechamento do Hospital da Mulher (confira fotos e vídeo)

Na manhã desta terça-feira (2), os servidores da saúde, junto com Sindsaúde/RN - Regional de Mossoró realizam um ato em defesa do Hospital da Mulher.

O protesto também é contra o processo de sucateamento do Hospital da Mulher que chega a níveis alarmantes e fica claro que o governo Robinson Faria e o secretário de Saúde, Ricardo Lagreca, têm intenções de fechá-lo.  O ato contou com uma torta, (des)comemorando 1 ano sem autoclave: para lembrar a irresponsabilidade do governador ao não realizar manutenção nos equipamentos do Hospital e não fornecer condições de trabalho dignas para seus profissionais.

Desde 2015 esta é a intenção do governo, e o Hospital só não fechou pela grande campanha popular que surgiu contra o fechamento do mesmo. Uma série de atos públicos e paradas no HM, o movimento realizado pelas trabalhadoras e trabalhadores e o decisivo apoio da população fez o governador e a secretaria de saúde recuarem em suas intenções terroristas.

Máquinas e equipamentos do hospital quebrados ou parados por falta de manutenção, setores inteiros sem funcionar (como a esterilização), leitos de UTI desperdiçados enquantos pacientes são atirados nos corredores do Tarcísio Maia. Este é o cenário atual do Hospital da Mulher, que mal teria condições de funcionar se não fossem as próprias pessoas trabalhadoras da unidade, que compram do seu próprio bolso material hospitalar que não é reposto pelo governo.

Na última quarta-feira 27/01, ocorreu também um ato contra outro fechamento, dessa vez, o governo tem a intenção de fechar as portas do Hospital da Polícia de Mossoró, transferindo os profissionais restantes para o Hospital Tarcísio Maia. O Hospital é referência em atendimento obstetrício, cardiológico, pediátrico e odontológico - além disso, tem disponibilidade de 21 leitos enquanto pacientes sofrem com a falta de leitos nos corredores do Tarcísio Maia. O ato contou com adesão de todos os servidores e grande apoio da população, em especial das mulheres e gestantes da periferia.

NÃO AO FECHAMENTO DO HOSPITAL DA MULHER!
NÃO AO FECHAMENTO DO HOSPITAL DA POLÍCIA!
MOSSORÓ EXIGE: NENHUM HOSPITAL A MENOS!
POR MAIS DIGNIDADE E INVESTIMENTOS!

Confira as fotos e vídeo do ato público a seguir:


Confira as fotos do ato público em defesa do Hospital da Mulher, trabalhadoras e trabalhadores do Hospital da Mulher...
Publicado por Sindsaúde/RN - Regional de Mossoró em Terça, 2 de fevereiro de 2016

Ato contra fechamento do Hospital da Mulher
HOSPITAL DA MULHER | Confira o registro do ato público em defesa do Hospital da Mulher, trabalhadoras e trabalhadores do Hospital da Mulher denunciam desmonte e ameaça de fechamento dos hospitais de Mossoró.Servidores junto com Sindsaúde/RN - Regional de Mossoró realizam ato em defesa do Hospital da Mulher, na manhã desta terça-feira 02/02. Protesto decorre das intenções criminosas do (des)governo Robson Faria e seu secretário de destruição da saúde pública Ricardo Lagreca - que planejam mais um golpe contra o povo de Mossoró e querem fechar tanto Hospital da Polícia quanto Hospital da Mulher. O ato do Hospital da Polícia ocorreu na última quarta-feira 27/01, e contou com adesão de todos os servidores e grande apoio da população, em especial das mulheres e gestantes da periferia. Hoje foi a vez das trabalhadoras e trabalhadores do Hospital da Mulher, que realizaram seu ato público em frente à unidade, denunciando o desabastecimento e o desmonte disfarçado do Hospital - tão importante para as mães de Mossoró. O protesto contou com uma torta, (des)comemorando 1 (um) ano sem autoclave: para lembrar a incompetência do governador ao não realizar manuntenção nos equipamentos do Hospital e não fornecer condições de trabalho dignas para seus profissionais.O povo de Mossoró exige: NENHUM HOSPITAL A MENOS!NÃO AO FECHAMENTO DO HOSPITAL DA MULHER!NÃO AO FECHAMENTO DO HOSPITAL DA POLÍCIA!NÃO, NÃO, NÃO AO FECHAMENTO! O POVO EXIGE MAIS DIGNIDADE E INVESTIMENTOS!EM DEFESA DO SUS 100% ESTATAL, GRATUITO E DE QUALIDADE!
Publicado por Sindsaúde/RN - Regional de Mossoró em Terça, 2 de fevereiro de 2016

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Trabalhadores protestam contra fechamento do Hospital da Polícia e ganham apoio da população



O secretário de saúde Ricardo Lagreca e o governador Robson Faria estão arquitetando mais um golpe contra o povo de Mossoró: anunciaram a intenção de fechar as portas do Hospital da Polícia de Mossoró, transferindo os profissionais restantes para o Hospital Tarcísio Maia. O Hospital é referência em atendimento obstetrício, cardiológico, pediátrico e odontológico - além disso, tem disponibilidade de 21 leitos enquanto pacientes sofrem com a falta de leitos nos corredores do Tarcísio Maia. Dispõe de ótima infraestrutura e é o único hospital do interior do Rio Grande do Norte que distribui bolsas de colostomia.

A negligência do governo estadual é a única deficiência do Hospital: as trabalhadoras e trabalhadores da unidade afirmam que basta a contratação de médicos plantonistas para o Hospital funcionar a pleno vapor. A gestão Robson Faria/Fábio Dantas e seu secretário de saúde preferem fechar hospitais do que investir na saúde pública, implantando o caos na saúde e sucateiam os serviços públicos. Só resta aos trabalhadores, então, unir-se à população e sair em defesa do Hospital da Polícia gritando a plenos pulmões: Nenhum hospital a menos! 

Na tarde desta quarta-feira 27/01, o Sindsaúde Mossoró/CSP-CONLUTAS realizou um vigoroso ato público contra o fechamento do Hospital da Polícia. A parada recebeu adesão dos servidores e servidoras da unidade e contou com a presença e apoio de usuários do SUS e populares das comunidades vizinhas. Muitas gestantes e mulheres, que são a maioria das atendidas no local, saíram em defesa do hospital e se somaram à luta fazendo falas de defesa da saúde pública, gratuita e de qualidade e de crítica aos governos Silveira e Faria.

O ato público recebeu apoio do presidente da Associação de Cabos e Soldados da PM- RN, que demonstrou a unidade da classe dos policiais nessa luta. Foi visitado por diversos vereadores e recebeu apoio do vice-prefeito Luiz Carlos, que fez uma fala de solidariedade com os manifestantes e em defesa do Hospital da Polícia de Mossoró.

A população por diversas vezes entoou o canto: Não, não, não - não ao fechamento! O povo de Mossoró não pode aceitar mais esse ataque contra nosso frágil sistema de saúde pública. Precisamos de mais investimentos, não cortes e muito menos fechamento de unidades. A população resistirá até o fim em defesa do Hospital da Polícia e de todos nossos direitos.

Confira os registros fotográficos e os vídeos do ato logo abaixo:







domingo, 24 de janeiro de 2016

Assú: Em segunda visita, Sindsaúde reúne servidores do estado e do município

Na manhã da sexta-feira 22/01, o Sindsaúde Regional de Mossoró promoveu duas reuniões com os servidores da saúde da cidade de Assú.  Os servidores do estado se reuniram no Hospital Regional de Assú. Os servidores do município,  por sua vez,  realizaram uma assembleia sobre a lei do PMAQ no Sindicato da Lavoura, com a presença de representantes do SINTASE Oeste e SINDASE RN. Ambos eventos contaram com a presença de advogados,  que tiraram dúvidas e atenderam os trabalhadores e trabalhadoras presentes. Esta foi a segunda reunião promovida em Assú no mês de Janeiro.

Estes encontros demonstram a continuação do trabalho do Sindsaúde Regional de Mossoró com os servidores de Assú. O Sindsaúde Mossoró busca conhecer o dia-a-dia e as dificuldades destes trabalhadores e trabalhadoras, aproximando assim da atividade sindical e garantindo a defesa dos direitos dos profissionais.

Neste sentido,  o Sindsaúde Regional de Mossoró realizará uma terceira visita na cidade de Assú em breve. O encontro vai abordar temas como assédio moral,  produtividade, desvios de função, isonomia entre os servidores, ponto digital para todas e todos, defesa da data-base do salário até o 5○ dia útil do mês e da  proposta de elevar o repasse do PMAQ para os trabalhadores de 55% para 80%.   Pretende-se organizar também a campanha de filiação do Sindsaúde,  para fortalecer os trabalhadores da saúde de Assú.

A reunião é aberta para todos os servidores estaduais da saúde, e também aos municipais - com exceção dos agentes de saúde e endemias que se organizarão num outro momento em separado. 

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Nota de repúdio sobre a perseguição política contra agentes de endemias

O Sindsaúde Mossoró vem através desta nota repudiar as ações de perseguição política praticadas pela administração da Vigilância Sanitária contra agentes de endemias.  Os agentes de endemias estão sendo ameaçados de receberem faltas por participarem nos atos públicos dos servidores municipais da saúde, realizados em frente à Prefeitura de Mossoró.

Os agentes de endemias,  junto a agentes comunitários de saúde,  técnicos de enfermagem,  enfermeiros,  odontólogos e outras categorias de municipalizados passaram o final de ano sem receber pagamento do salário,  sem poder ao menos comemorar as festas de fim de ano com seus familiares e amigos.  Pelo contrário,  os trabalhadores precisaram se unir e ir à luta,  em defesa do seu justo direito ao salário e pela valorização dos nossos serviços públicos.  Precisaram inclusive deflagrar uma greve unificada para garantir este direito e receber o pagamento.  Entretanto, agora apenas a categoria dos agentes de endemias estão sendo perseguidos por exercer seu direito de lutar.

A administração da Vigilância Sanitária alega que foi irresponsabilidade dos agentes de endemias faltarem o trabalho em época de inverno e chuvas. Ora, a verdadeira irresponsabilidade nesta história não veio por parte da prefeitura,  ao não pagar o salário dos servidores municipais em dia? Como exigir trabalho e dedicação integral dos servidores se não recebem seu sustento?

Não podemos permitir que trabalhadores sejam ameaçados e perseguidos por sair em defesa dos nossos direitos,  de reivindicarem seus salários e de denunciarem o descaso com o serviço público e seus servidores.  Denunciaremos esta atitude antidemocrática em todos os meios acessíveis,  e defenderemos com todos os meios cabíveis o direito à manifestação dos agentes de endemias,  visto que trata-se de direito assegurado na Constituição. 


Nenhuma falta em dia de luta!


Não à perseguição política contra os agentes de endemias!

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Assu: Sindsaúde reúne com servidores na sexta 22, advogados estarão presentes


O Sindsaúde Regional de Mossoró junto à direção estadual estará reunindo as trabalhadoras e trabalhadores da saúde de Assú na sexta-feira 22 de janeiro. O Sindicato Intermunicipal dos Agentes de Saúde e Endemias - SINTASE Oeste - também estará presente. Advogados de ambas entidades estarão disponíveis para conversar e tirar dúvidas com as pessoas sócias dos sindicatos.

A reunião vai pautar temas como indícios de assédio moral, lei do PMAQ e seu pagamento, produtividade, ponto digital para todos, isonomia entre os servidores, desvios de função, entre outros. Esta será a segunda reunião dos trabalhadores da saúde realizada em Assú no mês de Janeiro.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Assú: Sindsaúde e Sintase reúnem com servidores do município



Na noite desta quarta-feira 05 de janeiro, agentes de saúde e técnicos de enfermagem do município de Assú/RN se reuniram com diretores do Sindsaúde e SINTASE no auditório do CDL. Participaram também como convidados os presidentes do Sindicato dos Servidores publicos federais de Assu, Valdir, e do Sindicato de Condutores de Ambulância do RN, Wanderson. Discutiu-se na atividade conjunta os problemas e ilegalidades enfrentados pela categoria, bem como as bandeiras de luta levantadas pela classe. A grande maioria das trabalhadoras e trabalhadores presentes no evento estavam trabalhando sem receber remuneração. Devido ao acordo rebaixado assinado pela FETAM-FEMURN, trabalhadores municipalizados de todo o Rio Grande do Norte estão sem receber os salários de dezembro de 2015, com dívidas acumuladas desde o ano passado e sem poder ao menos comemorar as festas de fim de ano. Destacou-se que o não pagamento do salário dos servidores municipais desencadeou lutas em todo o RN, como nos recentes atos públicos em Macau e a greve unificada em Mossoró. 

Trabalhadoras e trabalhadores da saúde relataram as dificuldades do seu dia-a-dia, debatendo sobre casos de assédio moral em local de trabalho e desvio de função. Debateu-se também sobre questões salariais, gratificações, de cargo e carreira e de direitos da categoria. Apontou-se a flagrante ilegalidade de parte das prefeituras, ao não repassar a verba PMAQ para os trabalhadores - desrespeito esse que ocorre em numerosos municípios do RN. Realizou-se também um panorama estadual do corte da insalubridade de servidores da saúde, como também da luta pela conquista das 30 horas da enfermagem, que já é realidade para parte dos funcionários da saúde.

A reunião com a base concluiu pela necessidade da organização dos trabalhadores, para resistir contra os ataques do governo contra a categorias, e garantir direitos já conquistados. Para tanto, a necessidade de construir sindicatos com independência dos governos e patrões.

Por fim, o diretor estadual do Sindsaúde (Aldiclesio Maia) informou a realização de uma visita do advogado do Sindsaúde Mossoró à cidade de Assu no dia 22/01, no intuito de fornecer um plantão jurídico e para solucionar dúvidas ou necessidades legais/judiciais das sócias e sócios do Sindsaúde. O atendimento ocorrerá em horário e local a confirmar.






quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Informes de Janeiro - Sindsaúde Mossoró

















A Assessoria de Comunicação do Sindsaúde Mossoró vem a público informar à categoria que:

1) Durante o mês de janeiro, a sede do sindicato estará aberta para atendimento aos trabalhadores apenas no período da manhã. O Sindsaúde Mossoró retornará as atividades normalmente pela tarde após o Carnaval.

2) Por conta do recesso do judiciário, a assessoria jurídica dos sócios e sócias do Sindsaúde somente retornará a partir da sexta-feira 22/12.

3) O Sindsaúde Mossoró realizará uma visita junto ao advogado na cidade de Assú na penúltima semana do mês, com data a confirmar.

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Solidariedade à greve unificada dos trabalhadores do município!


Os servidores da saúde do município de Mossoró deflagraram greve unificada na manhã desta segunda-feira 04 de janeiro. Os agentes de saúde e trabalhadores da Estratégia de Saúde da Família já vinham em um processo de luta contra o calote do PMAQ,  verba repassada pelo governo federal para integrar o salário dos servidores e investir nas UBS,  mas que é desviada pela gestão Silveira no meio do caminho, sem chegar ao trabalhador e tampouco à saúde pública. Somado ao mais novo ataque da prefeitura,  que deixou de pagar os salários de todos os funcionários municipais em dezembro de 2015,  os trabalhadores sem salário e com seus direitos ameaçados se uniram nesta greve unificada.

O Sindsaúde Mossoró vem através desta nota pública expressar sua solidariedade com a luta dos trabalhadores do município de Mossoró.  É momento de avançarmos na unidade,  fortalecer a greve e integrar as outras categorias também atacadas pela prefeitura nesta batalha.  Só assim poderemos construir uma greve geral contra os ataques dos governos e patrões,  e fazer com que os governos não joguem a conta da crise nas costas dos trabalhadores e do povo pobre.


Todo apoio à greve unificada do município! Pagamento dos salários e do PMAQ atrasados,  já!