segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Nota pública do Sindsaúde-RN sobre a visita do governador à Mossoró



Sindsaúde repudia declarações feitas pelo analista político Daniel Menezes sobre visita do governador a Mossoró e do ato realizado no Tarcísio Maia 

O Sindicato dos Servidores em Saúde do Rio Grande do Norte (Sindsaúde-RN) vem à público repudiar os artigos publicados no blog ‘O Potiguar ’, de Daniel Menezes, e no site ‘AgoraRN’, nesta quinta-feira (12), acerca da visita do governador a Mossoró e do ato público realizado no hospital Tarcísio Maia.

O analista político afirma que o protesto foi articulado pela vereadora Sandra Rosado e a deputada estadual Larissa Rosado, do PMDB, com objetivo de desgastar o governo Robinson Faria (PSD).

O Sindsaúde, fundado há 25 anos, preserva sua independência política e não é marionete de ninguém. O ato público em Mossoró foi um protesto legítimo que reuniu trabalhadores da saúde, professores e alunos da UERN, sem qualquer tipo de relação com grupos políticos citados. E mesmo com a inibição do uso do carro de som por parte da polícia, não faltou voz para os trabalhadores fazerem suas denúncias.

Não é necessário incentivo ou estímulo para protestar contra o governo Robinson. Até o momento nossos salários estão atrasados. O governador fechou o Hospital da Polícia e o Hospital da Mulher e, em um ano, a quantidade de pacientes em macas no Tarcísio Maia dobrou.

Para não passar pelo protesto, o governador optou por entrar pela porta dos fundos do hospital. Só após muita pressão dos trabalhadores e do Sindsaúde, Robinson aceitou receber uma comissão composta por servidores e pelo sindicato, que entregou uma pauta de reivindicações de melhorias para a saúde pública de Mossoró e região. 

Novamente recusamos qualquer tentativa de vincular a manifestação legitima à grupos políticos, que também são responsáveis pela destruição da saúde e pelo atraso e desigualdade social do nosso estado.

Lamentamos que o blogueiro tenha deixado de se pautar pela necessária independência política, agindo como instrumento na eterna disputa entre as forças políticas da elite que se revezam no comando do poder no RN.

 

Natal, 13 de janeiro de 2017

Sindsaúde-RN
Sindicato dos Servidores da Saúde do Rio Grande do Norte

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Robinson Faria é recepcionado no Tarcísio Maia com protesto



Sob forte protesto, Robinson Faria visitou o Hospital Tarcísio Maia na manhã desta quinta-feira 12/01. O governador entrou no Hospital pela porta dos fundos, fugindo dos trabalhadores que aguardavam na entrada. Os manifestantes, por sua vez, entraram no Hospital e encontraram-no. Robinson, por fim, aceitou receber os trabalhadores – ocasião em que o Sindsaúde entregou uma pauta de reinvindicações de melhorias para a saúde pública de Mossoró e região.

O governador passou mais de 10 meses sem cumprir agenda na segunda maior cidade do RN, desde que foi recebido com forte protesto e encurralado por estudantes e trabalhadores da UERN em março do ano passado.  De lá para cá, a relação de Robinson com Mossoró piorou bastante. Seu governo foi responsável pelo fechamento do Hospital da Polícia e do Hospital da Mulher só no ano passado, e ainda ameaçou fechar o Hospital de Apodi, o que fez a população da cidade tomar as ruas.

No diálogo que teve com diretores do Sindsaúde e trabalhadores do HRTM, Robinson garantiu em prosseguir a reforma do Tarcísio Maia - com a construção de 10 leitos de UTI e 6 leitos de UTI Pediátrica - o não-fechamento e reforma do Hospital Rafael Fernandes, e que o início das obras do Hospital Regional da Mulher se daria em março.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Informes de Janeiro


A Assessoria de Comunicação do Sindsaúde Mossoró vem informar à categoria que durante o mês de janeiro o sindicato funcionará somente pelas manhãs. O sindicato voltará a funcionar normalmente à tarde no mês de fevereiro.

Estamos em obras


A direção regional do Sindsaúde Mossoró está cuidando do patrimônio das sócias e sócios do sindicato. As paredes da secretaria foram restauradas e a sala do arquivo foi forrada. A direção também prevê reformas para a sala de estar e ambientação da entrada.


Sindsaúde Mossoró em obras para cuidar do patrimônio do associado




quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Posto de Saúde do Boa Vista fecha por falta de material

Foto: Olivar Silveira



Funcionários da UBS do Boa Vista decidiram, com anuência da direção, encerrar as atividades do posto até o final de 2016. O motivo é a falta generalizada de material, que inviabiliza o funcionamento da unidade.

Falta seringa, vacina, luva, máscara, entre outros materiais essenciais para o desenvolvimento do trabalho dos servidores. “Nós não temos nada a oferecer a população. Lá no posto não tem nada. Falta tudo. Não temos seringa, vacina, papel, luva, máscara. Nós funcionários conversamos com a diretora e ficou decidido que só retornaríamos no dia 2 de janeiro. Lá não tem material de trabalho”, disse a funcionária em entrevista ao Jornal De Fato

Outros fatos, como problemas na infraestrutura da unidade, cadeira do dentista quebrada, atraso no pagamento do funcionalismo municipal da saúde e falta de segurança também motivaram a suspensão das atividades.


quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Tomógrafo do Tarcísio Maia é uma conquista dos trabalhadores



Após mais de um ano em falta, o tomógrafo foi reinstalado no Hospital Regional Tarcísio Maia neste mês de dezembro. A reinstalação do tomógrafo foi uma necessidade da população de Mossoró e região, bem como uma reivindicação histórica dos profissionais da saúde que foi enfim atendida.

O tomógrafo foi uma conquista da luta dos trabalhadores da saúde, junto da população. Não foi um favor do governo ou de algum deputado. O Sindsaúde Mossoró sempre denunciou a situação dos hospitais públicos e do SUS em geral e cobrou melhorias às autoridades. Pelo menos desde dezembro de 2015 nosso sindicato vem batendo na tecla do tomógrafo, seja na imprensa estadual (Tribuna do Norte), seja na imprensa local (Jornal deFato), seja pelo blog do Sindsaúde Mossoró [1] e [2]. Com a publicação do “Relatório sobre a questão do Tarcísio Maia” – amplamente divulgado nos meios de comunicação, conseguimos aliados como a OAB e o Ministério Público. E não fazendo apenas denúncias, mas também chamando atos públicos para cobrar melhorias para o hospital.

Repetimos: a instalação do tomógrafo não foi um favor da classe política. O povo de Mossoró não esqueceu os crimes de Robinson Faria: o fechamento do Hospital da Polícia e do Hospital da Mulher. As melhorias que vieram para o Tarcísio Maia vieram a duras penas para o Sistema Único de Saúde do oeste potiguar como um todo. Com o congelamento das verbas da saúde promovido pelo governo Temer, e os cortes e sucateamentos promovidos pelo governo Robinson, os trabalhadores da saúde devem começar 2017 com a certeza que só a luta muda a vida, ou no mínimo, só a luta será capaz de não piorar ainda mais a precária situação que a saúde pública já se encontra.  

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Confira as fotos da confraternização natalina do Sindsaúde Mossoró 2016

Neste sábado 17/12 o Sindsaúde Mossoró promoveu sua tradicional confraternização natalina das sócias e sócios. Confira aqui os registros em foto e vídeo desta animada festa, pois nem só de luta vivem os guerreiros!




terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Sindsaúde discute assédio moral e medidas de proteção aos servidores no HRTM



Agressões verbais e psicológicas, infelizmente, são práticas comuns no ambiente hospitalar. Dada essa situação, o Sindsaúde Mossoró foi ao Hospital Tarcísio Maia discutir junto à coordenação de Enfermagem o tema de assédio moral no ambiente de trabalho, bem como deliberar medidas de proteção às trabalhadoras e trabalhadores da saúde nestes casos. 

Com a reunião, decidiu-se como proceder nos casos de assédio moral que venham a ocorrer no interior do H.R.T.M. . O profissional vítima do assédio deve proceder imediatamente à realização de um Boletim de Ocorrência. A coordenação deverá responder com medidas de proteção à estabilidade emocional do servidor. As medidas podem variar do remanejamento temporário do servidor de seu setor, para evitar novas ocorrências, até a dispensa diária do servidor, sem prejuízo de sua remuneração, caso o servidor não tenha mais condições emocionais para continuar em serviço. 

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

SAMU prestes a paralisar em Mossoró, informa diretor técnico

"O SAMU Mossoró vem suportando esta situação unicamente pelos interesses dos servidores que são exemplo de luta e coragem"  (fonte da charge)

O diretor técnico do SAMU em Mossoró, o Dr. José Gilliano Carlos de Freitas, informou em ofício ao Ministério Público o risco de iminente paralisação do serviço na cidade de Mossoró por conta de desabastecimento, falta de manutenção e de pagamento aos funcionários.  O SAMU é um serviço de importância vital para a saúde pública de Mossoró, e não pode parar. O Sindsaúde vem somar a esta denúncia, realizada pela própria direção. para cobrar à prefeitura a normalização dos repasses e dos contratos de fornecimento. Dada à completude das informações contidas no ofício, transcrevemos o documento na íntegra:

Informamos à Vossa Senhoria que o SAMU/Mossoró está com serviços bastante comprometidos, na iminência de ocorrer a total paralisação deste serviço com graves consequências para o atendimento da população da cidade de Mossoró/RN. 
Segue lista dos principais serviços ou falta deles da atual situação do SAMU/Mossoró 
○ Fornecedores de alimentação, água mineral, material de limpeza do prédio;  
○ Fornecedores de material de escritório;  
○ Material para desinfecção das viaturas; 
○ Prestadores de serviços para a manutenção das viaturas; ○ Manutenção de sistema elétrico e hidráulico do prédio; 
○ Manutenção de equipamentos de condicionador, de ar, telefone, internet e sistemas de informática; 
○ Prestador de serviço para manutenção de material médico hospitalar; 
○ Atraso de pagamento de boa parte dos funcionários sem previsão para ser efetuado. 
Outrossim, informamos que o SAMU/Mossoró vem suportando essa situação, unicamente pelos interesses dos servidores que são exemplo de luta e coragem. Agradecemos e nos coloamos à disposição para quaisquer outras informações ou dúvidas. 
Atenciosamente, 
JOSÉ GILLIANO CARLOS DE FREITAS 
MÉDICO & DIRETOR TÉCNICO DO SAMU-MOSSORÓ/RN


quarta-feira, 30 de novembro de 2016

A precariedade das UBS e da saúde pública de Mossoró



A saúde pública do município de Mossoró sente os efeitos da crise, e enfrenta graves problemas de manutenção e abastecimento, herdados pelo descaso dos governantes. Contra este desmonte do SUS, promovido pela classe política, estão as trabalhadoras e trabalhadores da saúde, que se organizam e lutam em defesa do direito à vida e do serviço público.

A Unidade Básica de Saúde Ver. Durval Costa, situada no conjunto Walfredo Gurgel, é um exemplo deste descaso com a saúde pública no município. Além da carência comum de medicamentos e equipamentos de enfermaria, a UBS sofre com a deterioração crescente de sua infraestrutura. Problemas básicos de manutenção e limpeza perduram, sem uma resposta por parte do poder municipal. Rachaduras e vazamentos de água se alastram pelo prédio, lixo acumula nas laterais da UBS, e ventiladores estão quebrados sem perspectiva de manutenção.

O desmonte do SUS é geral e envolve todos os níveis de governos. Todos eles querem fazer os trabalhadores pagarem pela crise, atacando seus direitos históricos e cortando o pouco orçamento revertido para a população, mediante o serviço público. O governo federal de Michel Temer, junto do Congresso Nacional, acaba de aprovar a PEC 55 – que vai congelar e estagnar os investimentos em saúde, educação, e no serviço público por 20 (vinte) anos. Com a aprovação desta PEC, o retrocesso no acesso à saúde e aos direitos sociais será brutal, com a situação estagnando e sem qualquer perspectiva de mais investimentos. É necessário construir uma greve geral contra a PEC do retrocesso, e contra as reformas da previdência e trabalhistas, para barrar estes ataques e defender os direitos sociais da trabalhadora e do trabalhador brasileiro.






Muro prestes a cair

A água que sai da pia é aparada por um balde

Lixo invade laterais da UBS

Buraco na calçada

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Confraternização de Natal do Sindsaúde Mossoró


O Sindsaúde Mossoró realizará sua tradicional confraternização natalina em 17/12, na APCEF (Clube da Caixa) - a partir das 13:00h. A festa terá com música ao vivo, comes e bebes, sorteio de brindes, banho de piscina, e espaço para crianças. As sócias e sócios devem buscar suas senhas na sede do Sindsaúde Mossoró, na Rua Prudente de Morais, nº 940. Mais informações no número (84) 3316-9518.

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Janduís: Servidores se unem para lutar e prefeitura deposita salários atrasados

Servidores de Janduís realizam parada unificada e conquistam depósito de salários atrasados

Na manhã desta sexta-feira 11/11 os servidores de Janduís da saúde, educação e administração deflagraram paralisação unificada e realizaram ato público em frente à prefeitura da cidade. A pressão dos servidores rendeu frutos: a prefeita Ligia de Souza Félix (PSDB) - que estava sem pagar o funcionalismo há mais de dois meses - depositou os valores atrasados.

O funcionalismo público de Janduís se somou à parada nacional do 11/11 contra a PEC 55 (ex PEC 241) e contra as reformas da previdência e trabalhista, promovidas pelo Congresso Nacional e pelo governo de Michel Temer. A parada nacional dia 11/11 foi marcado por paralisações em todo o Brasil, e repercutiu em vários municípios do Rio Grande do Norte: ocorrendo atos públicos e ocupações estudantis nas cidades de Natal, Mossoró, Assú, Macau, Janduís e Pau dos Ferros.


Solidariedade às ocupações da UERN e da EE Aida Ramalho

Sindsaúde entrega doações para estudantes na ocupação da reitoria da UERN, em Mossoró

O Sindsaúde Mossoró vem, através desta nota, expressar solidariedade às ocupações estudantis que ocorrem em Mossoró e região. Somando-se à campanha nacional contra a PEC 55 - ex PEC 241 – estão ocupadas a E.E. Aida Ramalho e as reitorias da UERN nas cidades de Assú e Mossoró (campus Central). O movimento é nacional, contando com mais de 221 universidades e milhares de escolas ocupadas contra a "PEC do fim do Mundo" - que impõe o congelamento dos investimentos em saúde e educação públicas nos próximos 20 anos.

O mês de Novembro trouxe a primavera estudantil para a região do oeste potiguar. Em 01/11 começou com a ocupação do campus da UERN de Pau dos Ferros, no dia 01/11, e conquistaram diversas pautas. Em Mossoró com a ocupação do EE Aida Ramalho na terça 8/11, seguido da ocupação da reitoria da UERN na quinta 10/11, e o campus da UERN de Assú na sexta 11/11. Somados à pauta nacional contra a PEC 55 e o ajuste fiscal que corta investimentos sociais da saúde e da educação pública, os estudantes inserem as pautas referentes a melhorias para seus locais de estudo.

Robinson Faria também enfrenta ocupações da classe trabalhadora em órgãos públicos, como a ocupação da Secretaria de Educação e da Secretaria de Planejamento, em defesa do serviço público e pelo pagamento dos trabalhadores em dia. As ocupações estudantis e o movimento da classe trabalhadora no RN e em todo o Brasil mostram o caminho. É necessário unificar estas lutas para construir a greve geral, para botar para Fora Temer e todos eles, barrar a PEC 55 e derrubar o ajuste fiscal, que corta os direitos sociais da classe trabalhadora e do povo pobre para favorecer ainda mais políticos, banqueiros e grandes empresários.