sábado, 21 de dezembro de 2013

Comemorando as vitórias de 2013 e preparando as lutas de 2014!

Confraternização fecha ano dos servidores da saúde de Mossoró com muita animação

A noite da sexta-feira (dia 20) foi marcada por muita música, animação e prêmios para os servidores da saúde de Mossoró. Os trabalhadores (as) lotaram o Clube da Caixa Econômica para participar da Confraternização de Fim de Ano do Sindsaúde/RN de Mossoró. A alegria tomou conta dos sócios do sindicato e de seus familiares e amigos, que dançaram e se divertiram à vontade. Comida, bebida, sorteio de brindes e aquele forrozinho agitaram a noite. 

Houve até uma homenagem ao Rei do Brega, Reginaldo Rossi, que infelizmente faleceu no mesmo dia. Além dos diretores da Regional, João Morais, Jussirene Oliveira e Antônia Géssia, marcou presença também a diretora estadual Rosália Fernandes. A Confraternização do Sindsaúde de Mossoró fechou o ano celebrando as lutas e vitórias de 2013 e já preparando as energias para 2014. Vamos pra frente que a ousadia de vencer não pode parar! 







Veja mais fotos da Confraternização clicando AQUI.

Em Mossoró... no Hospital da Mulher...

Salário dos novos servidores demora a ser pago e ainda vem errado

Depois de uma longa espera, que só se encerrou com uma decisão judicial, finalmente, em agosto, 221 concursados de 2010 foram convocados para o Hospital da Mulher. Após a alegria da posse, só surpresas. Primeiro, ficaram dois meses sem salário. O governo inventou justificativas, mas os servidores não tinham o que dizer na hora de pagar o aluguel, a prestação, a escola dos filhos.

Em novembro, quando finalmente o salário veio, outra surpresa. O valor veio errado, com o salário-base antigo, e com a GAE reduzida.

Sindsaúde inclui o tema em audiência e governo se compromete a corrigir
No dia 3 de dezembro, o Sindsaúde teve uma audiência com as Secretarias de Administração e de Saúde, sobre descontos indevidos nos salários e direitos (férias não pagas, etc). Na ocasião, o sindicato incluiu o tema e o governo se comprometeu a corrigir o salário dos novos servidores, fazendo o nivelamento no sistema Ergon. O documento foi assinado pelos dois secretários e está disponível no site do Sindsaúde (Clique aqui).

O Sindsaúde convoca os novos servidores do Hospital da Mulher a permanecer unidos e mobilizados, pois, como vimos no acordo de greve, o governo tem o péssimo hábito de quebrar acordos e compromissos. Convidamos todos(as) que estão chegando agora a se sindicalizarem, para fortalecer a nossa luta, para lutar por melhores salários, condições de trabalho e o pagamento da gratificação por produtividade. 

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Onde está o dinheiro?

Servidores de Mossoró voltam às ruas para cobrar pagamento do Pasep; Prefeitura garante que definição da data sai na próxima segunda-feira

Mesmo com chuva, servidores municipais de Mossoró, em sua maioria agentes de saúde e de endemias, realizaram um protesto nas ruas da cidade na manhã desta sexta-feira (20). Convocada pelo Sindsaúde e pelo Sindserpum, a manifestação voltou a cobrar da Prefeitura o pagamento do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público, o Pasep. Tem direito ao benefício os trabalhadores que recebem até dois salários mínimos.

Os servidores deveriam ter recebido o Pasep em agosto, mas como a Prefeitura de Mossoró repassou os dados relativos à Rais (Relação Anual de Informações Sociais) com atraso, o dinheiro ainda não foi liberado pelo Ministério do Trabalho. O mais recente prazo dado para o pagamento do Pasep foi esta quarta-feira, dia 18. Mas isso não aconteceu.

Por isso, os servidores voltaram às ruas para exigir do prefeito interino, Francisco Junior, que intercedesse politicamente junto ao Ministério do Trabalho a fim de que o direito fosse pago. “Por um erro do município, cerca de 600 servidores da saúde estão sendo prejudicados. Os trabalhadores não podem pagar por uma irresponsabilidade da Prefeitura.”, avaliou João Morais, diretor do Sindsaúde.

O protesto saiu em caminhada da sede do sindicato até o Palácio da Resistência, sede da Prefeitura, onde uma comissão formada por diretores do Sindsaúde, do Sindserpum e trabalhadores da base foi recebida pelo prefeito. Francisco Junior informou que havia feito contato com o Ministro da Previdência, Garibaldi Alves Filho, e que este teria repassado o problema para o chefe de gabinete do Ministério do Trabalho.

Segundo o prefeito, a informação do Ministério é que o Pasep dos servidores de Mossoró será pago ainda em dezembro. Entretanto, a Prefeitura só saberá precisamente a data do pagamento na próxima segunda-feira, dia 23. Os servidores saíram do Palácio da Resistência determinados a permanecerem mobilizados e concentrados já nesta segunda, a partir das 8 horas, na sede do Sindsaúde. “O sentimento dos trabalhadores é de que a definição do pagamento do Pasep não pode passar desta data. Do contrário, os protestos vão continuar.”, concluiu João Morais.









quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Paguem nossos direitos!

NESTA SEXTA (20), SERVIDORES DA SAÚDE DE MOSSORÓ VOLTAM A PROTESTAR PELO PAGAMENTO DO PASEP

Os servidores municipais da saúde de Mossoró, principalmente agentes de saúde e de endemias, vão voltar às ruas nesta sexta-feira (20). O protesto dos trabalhadores é para cobrar novamente da Prefeitura o pagamento do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep). A concentração do ato será na sede do Sindsaúde de Mossoró, às 8 horas.

Os servidores deveriam ter recebido o Pasep em agosto, mas como a Prefeitura repassou os dados relativos à Rais (Relação Anual de Informações Sociais) com atraso, o dinheiro ainda não foi liberado pelo Ministério do Trabalho. Por um erro do município, cerca de 600 servidores da saúde, que recebem até dois salários mínimos, estão sendo prejudicados.

Em recente reunião entre o prefeito interino, Francisco Junior, e o Sindsaúde, a Prefeitura assumiu o compromisso de pagar o Pasep nesta quarta-feira, dia 18. Mas nenhum centavo caiu nas contas dos trabalhadores até agora. As lutas de 2013 ainda não terminaram.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Comemorar 2013 e recarregar para 2014!

Nesta sexta-feira (dia 20), o Sindsaúde/RN de Mossoró realiza a sua Confraternização de Fim de Ano, ao lado dos servidores da saúde do município e região. A festa será no Clube da Caixa Econômica, a partir das 21 horas, e terá música ao vivo, comidas, bebidas e sorteio de brindes para os sócios. Venha comemorar as lutas de 2013 e recarregar as energias para 2014!


sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Deu na Imprensa

Servidores estaduais da saúde fazem manifestação em frente ao HRTM

Os servidores estaduais da saúde realizaram uma manifestação na manhã de ontem, em frente ao Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM) para pressionar o Governo do Estado a cumprir o acordo da última greve realizada pela categoria. Segundo João Morais, coordenador regional do Sindicato dos Servidores da Saúde do Rio Grande do Norte (Sindsaúde/RN), um dos pontos é a mudança de internível dos trabalhadores.

"Essa mudança significa 3% de reajuste para os servidores. O acordo previa o pagamento em março para o nível elementar, em abril para o nível médio e em maio para o nível superior. A administração estadual agora diz que foi agosto ou setembro. O problema é que essa mudança deveria ter sido enviada para a Assembleia Legislativa, que entra em recesso hoje (ontem). Dessa forma, não tem mais como ser feito o cumprimento do acordo", esclarece o sindicalista.

Outro ponto do acordo era referente à correção salarial dos aposentados prevista para o mês de janeiro. "O governo já disse que não tem como pagar. Além disso, a comissão composta por servidores, sindicato e Executivo estadual para rever o Plano de Carreira da categoria também não avançou, nem foi enviado projeto para a Assembleia", destaca.

Na ocasião do ato público, os familiares de pacientes também denunciaram a precariedade da saúde no Estado, como a falta de medicamentos no HRTM. "O governo tem dinheiro para a Copa, mas não tem dinheiro para a saúde. Exemplo disso são as reformas dos hospitais Walfredo Gurgel, em Natal, e o Tarcísio Maia, em Mossoró, que já deveriam ter sido concluídas, mas ainda se arrastam sem prazo para conclusão", complementa João Morais.

Apesar dos problemas, os servidores estaduais da saúde lotados em Mossoró não aderiam à greve iniciada em Natal nesta semana. "Temos os mesmos problemas de Natal. No entanto, temos poucos servidores. Dessa forma, uma greve aqui traria prejuízos enormes para a população, que já é desassistida. Não descartamos essa possibilidade, mas a greve não será iniciada nesse momento", conclui o coordenador.

Fonte: O Mossoroense – 13/12/2013

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Pelo pagamento do Pasep

Agentes de saúde protestam em frente à Prefeitura de Mossoró   


Fonte: TCM

Calote não!

Servidores de Mossoró protestam contra atraso no pagamento do Pasep

Agentes de saúde e de endemias de Mossoró protestaram em frente à Prefeitura da cidade na manhã da última segunda-feira, dia 9. A manifestação foi organizada pela Regional do Sindsaúde/RN e teve como objetivo cobrar o pagamento do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep). O protesto saiu do sindicato em direção ao Palácio da Resistência, sede do executivo.

Coordenador do Sindsaúde, João Morais explica que, em reunião no dia 4 de setembro entre os dirigentes do sindicato e a Prefeitura, ficou decidido que o Pasep seria pago até o dia 30 de novembro. Mas não foi o que ocorreu.

“Deveríamos ter recebido Pasep em agosto, mas como a Prefeitura repassou os dados relativos à Rais (Relação Anual de Informações Sociais) com atraso, o dinheiro ainda não foi liberado. Ou seja, por um erro do município, os servidores estão sendo prejudicados. Deram o prazo de 30 de novembro, o pagamento não foi feito. Depois falaram em 3 de dezembro, mas até agora não recebemos nada.”, denuncia João Morais.

Cerca de 600 servidores municipais da saúde estão sendo prejudicados com o atraso do Pasep.






sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Governo sem compromisso!

Rosalba descumpre acordo

Servidores da saúde aprovam retorno da greve e lotam corredores da Sesap

Secretário reafirmou as mudanças no acordo de greve e disse aos servidores para fazerem a greve.

Os servidores estaduais da saúde realizaram uma assembleia nesta quinta-feira, no auditório do Sinpol e aprovaram o retorno do movimento grevista, a partir da terça-feira (10).

O retorno da greve foi aprovado após o descumprimento do acordo proposto pelo governo em setembro, e que permitiu a suspensão da greve nos hospitais estaduais, após 33 dias. Na ocasião, o governo estadual assumiu o compromisso de que os aposentados iriam receber 22% nas gratificações a partir de janeiro e a tabela de salários de todos os servidores fosse modificada, com a diferença de 3% entre os níveis (internível). A nova tabela seria implementada em março (nível elementar), abril (nível médio) e maio (nível superior) e teve o aval da governadora.

No entanto, nesta semana, o secretário estadual de Saúde, Luiz Roberto Leite Fonseca, informou ao sindicato que o pagamento dos servidores de nível superior será pago em agosto e setembro de 2014 e que não há confirmação sobre a correção dos 22% nas gratificações dos aposentados.

“O governo não cumpriu a palavra. Suspendemos a greve com esse compromisso e quatro meses depois eles informam que não irão cumprir”, afirma Simone Dutra, coordenadora-geral do Sindsaúde. O sindicato cobra ainda um Projeto de Lei com a revisão do Plano de Cargos (PCCR), que o governo se comprometeu a enviar neste ano para ser votado na Assembleia Legislativa e denunciam o fechamento das pediatrias do Santa Catarina e do Deoclécio Marques.

Logo após a assembleia que aprovou a greve, cerca de 100 servidores se dirigiram ao prédio da Sesap (Av. Deodoro da Fonseca) para tentar se reunir com o secretário de saúde. Na antessala do gabinete, o coordenador de comunicação da Sesap, Cristiano Loureiro, tentou bloquear a porta, para impedir a entrada dos servidores. Rosália Fernandes, uma das diretoras do sindicato, só conseguiu entrar após ser puxada pelos servidores que já estavam lá dentro.

Após 1 hora de espera, o secretário recebeu uma comissão de 6 servidores e reafirmou as mudanças no acordo. Segundo ele, o governo não pode se comprometer a entregar a tabela salarial para tramitar na Assembleia Legislativa até o próximo dia 12 e disse que os servidores terão que esperar até fevereiro do próximo ano, quando a Assembleia voltar do recesso. “Não há o que fazer, façam a greve, é um direito de vocês”, finalizou o secretário.

Na sexta-feira, dia 13 de dezembro, os servidores farão uma nova assembleia para avaliar os primeiros dias do retorno à greve.

Fonte: Sindsaúde Estadual

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Sindsaúde de Mossoró realiza assembleia


Trabalhadores discutem data da eleição da Regional e descontos do Pasep dos servidores municipais

Na quarta-feira, 28, no auditório da biblioteca municipal, a Regional do Sindsaúde de Mossoró e Região realizou uma assembleia com cerca de 150 servidores para discutir a prorrogação do mandato de sua diretoria, que se encerraria no mês de dezembro.


Os servidores aprovaram a prorrogação do mandato da atual diretoria e a definição das datas das inscrições das chapas (23/01 a 21/02/14), da assembleia de campanha eleitoral (22/01/14) e da eleição (26 a 27/03/13).


Além deste tema, a assembleia discutiu a luta contra o não pagamento do Pasep aos servidores. O pagamento deveria ter sido feito no mês de agosto e, até agora, não foi efetuado. Uma comissão foi estabelecida para ir até a secretaria da administração do município, no mesmo dia, para uma reunião com a secretária Fátima Marques. 


Segundo a secretária, para que houvesse o pagamento, os dados dos servidores deveriam ser enviados para a RAE. O pagamento estava previsto para o mês de novembro, no entanto, as informações dos servidores foram enviadas com erros. Ela garantiu que no dia 3 de dezembro o pagamento seria feito aos servidores.

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Assembleia Geral

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

O SINDICATO DOS TRABALHADORES DA SAÚDE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE – SINDSAÚDE – REGIONAL MOSSORÓ, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, CONVOCA todos os associados para a Assembleia Geral Extraordinária a ser realizada no dia 28 de novembro de 2013, às 9h, na Biblioteca Municipal Ney Pontes Duarte, Praça Redenção, 17 Centro, Mossoró-RN, tendo a seguinte pauta:

1. Informes gerais; 2. Prorrogação ou não do mandato da atual gestão; 3. Definição da data da realização de nova Assembleia para escolha da comissão eleitoral.

Mossoró-RN, 21 de novembro de 2013.

JOÃO MORAIS PEREIRA
DIRETOR REGIONAL 

Deu na Imprensa!

Servidores da saúde de Mossoró receberão repasse de valores conquistados com o PMAQ   


Fonte: TCM

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Se vocês querem que a governadora vá embora...

SINDSAÚDE DE MOSSORÓ PARTICIPA DE ATO EM NATAL PELO IMPEACHMENT DE ROSALBA

Protesto desta quinta-feira (dia 31) reuniu em Natal servidores do estado e do município e terminou com ato na Assembleia Legislativa, onde foi entregue o pedido de impeachment da governadora do RN, Rosalba Ciarlini (DEM). O Sindsaúde/RN e o Sinai (sindicato da administração indireta) convocaram a manifestação, que contou com a participação de estudantes, professores, policiais civis e outras categorias. A Regional do Sindsaúde de Mossoró esteve presente com uma caravana de servidores. "As pessoas estão morrendo nos corredores dos hospitais por falta de assistência desse governo, que deixa faltar de tudo.", denunciou João Morais, coordenador do sindicato em Mossoró.


Vídeo - Fora Rosalba!

Coordenador do Sindsaúde de Mossoró defende o impeachment da governadora Rosalba

Protesto desta quinta-feira (dia 31) reuniu em Natal servidores do estado e do município e terminou com ato na Assembleia Legislativa, onde foi entregue o pedido de impeachment da governadora do RN, Rosalba Ciarlini (DEM). O Sindsaúde/RN foi um dos organizadores da manifestação. A Regional de Mossoró esteve presente com uma caravana de servidores. Veja vídeo com o coordenador João Morais.

A porta da rua é serventia da casa!

Sindsaúde/RN entrega pedido de impeachment de Rosalba

Protesto desta quinta-feira reuniu servidores do estado e do município e terminou com ato na Assembleia Legislativa, onde foi entregue o pedido de impeachment da governadora Rosalba Ciarlini.

Na manhã desta quinta-feira, 31, cerca de 400 pessoas participaram de uma marcha contra os atrasos no salário do funcionalismo estadual. O protesto foi convocado pelo Sindsaúde-RN e pelo Sinai, sindicatos que fizeram uma paralisação de 24 horas. Junto com estudantes, professores, policiais civis e outras categorias, eles percorreram a Avenida Rio Branco, interrompendo o trânsito, e seguiram até a Prefeitura e a Assembleia Legislativa.

Os servidores tomaram as escadarias da Assembleia Legislativa e fizeram um ato, acompanhados do boneco da governadora, que foi utilizada em agosto, durante a greve da saúde do estado e o acampamento em frente à residência da governadora. Em seguida, uma comissão protocolou o pedido de impeachment, que foi recebido por uma comissão de deputados, entre eles o presidente da Casa, Ricardo Motta (PROS) e Fernando Mineiro (PT).

A governadora foi denunciada por crime de responsabilidade e por improbidade administrativa, baseado na Lei 1.079, que, em seu artigo 75, permite a “todo cidadão denunciar o Governador perante à Assembleia Legislativa”. A denúncia responsabiliza o governo pelo não cumprimento dos direitos básicos, como saúde, educação e segurança. Destaca ainda o caos na saúde do Rio Grande do Norte, com a falta de atendimento, as mortes nos hospitais e a ausência de condições de trabalho dos profissionais, a exemplo da falta de fio de aço para cirurgias no Hospital Walfredo Gurgel. O documento entregue também denuncia a falta de investimentos nestas áreas, comparando com gastos como diárias e publicidade.

“O pedido de impeachment não é para ser feito apenas em caso de corrupção e roubo. A população tem que poder tirar um governante que não investe na saúde e deixa as pessoas morrendo no corredor. Vamos esperar mais um ano? Quantos irão morrer até lá?”, questiona Simone Dutra, coordenadora-geral do Sindsaúde-RN e autora do pedido. "Não vamos apenas entregar o pedido e ficar esperando os deputados. Vamos continuar com a campanha do Fora Rosalba, continuar na luta contra esse governo.", convocou.

O pedido foi assinado também pelos vereadores de Natal Amanda Gurgel (PSTU), Marcos Antonio (PSOL) e Sandro Pimentel (PSOL), além do presidente do PSTU-RN, Dário Barbosa; do professor da UFRN Robério Paulino, e representantes da CSP-Conlutas e da ANEL (Assembleia Nacional dos Estudantes Livre).

O ato também foi em apoio à greve dos servidores de Natal, que completou 16 dias, sem uma nova proposta da Prefeitura. No dia anterior, o prefeito Carlos Eduardo chegou a bater boca e arrancar as faixas de servidores, em frente à prefeitura. “O prefeito Carlos Eduardo congela os nossos salários, ignorando a nossa data base. Já a governadora Rosalba atrasa o pagamento. Os governantes parecem se importar só com a Copa e esquecem dos servidores e da população”, afirmou Célia Dantas, diretora do Sindsaúde-RN.

Fonte: Sindsaúde Estadual

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

O povo não aguenta mais!

Sindsaúde entrará com impeachment contra Rosalba

O Sindicato dos Servidores da Saúde do Rio Grande do Norte (Sindsaúde) está preparando um pedido formal de impeachment da governadora Rosalba Ciarlini (DEM). A previsão é que o documento seja entregue na próxima quinta-feira à Assembleia Legislativa durante mobilização da parada de advertência em virtude dos atrasos salariais.

Conforme o diretor regional do Sindsaúde, João Morais, a solicitação terá apoio de outras entidades representantes dos trabalhadores como o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Rio Grande do Norte (Sinte/RN).

Esta é a terceira vez que surge a possibilidade de uma entidade pedir o afastamento da governadora. A primeira surgiu do Sinte e a segunda partiu da Associação de Defensores Públicos do Rio Grande do Norte (Adpern).

De acordo com João Morais, o pedido de afastamento da governadora está fundamentado em três pontos: 1) a crise que assola o Estado em todas as áreas; 2) o descaso na saúde; 3) falta de explicações concretas sobre a situação do Orçamento Geral do Estado (OGE) que apresenta contradições entre os números e discurso.

Coordenadora-geral do Sindsaúde-RN, Simone Dutra contou no site da entidade que as categorias perderam a paciência com a governadora e não aceitam a anunciada reprogramação do pagamento dos servidores. "Não podemos deixar que vire um hábito. Os servidores têm contas a pagar e não podem ficar todo mês nessa situação. O governo Rosalba está desde o começo alegando dificuldades financeiras. E sempre os servidores e a população que pagam a conta. Cansamos de esperar. Até quando vamos esperar?", questionou.

Fonte: O Mossoroense – 29/10/2013 

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Atenção, Servidores de Mossoró!

Deu na Imprensa

Sindicato denuncia falta de pagamento de incentivo aos servidores municipais da saúde

O Sindicato dos Trabalhadores da Saúde do Rio Grande do Norte (Sindsaúde/RN) denuncia a falta de repasses dos valores referentes ao desempenho do Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB) para os profissionais da área que já foram avaliados. Segundo o coordenador regional do sindicato, João Morais, a Prefeitura Municipal de Mossoró (PMM) está retendo indevidamente os valores.

"O PMAQ-AB é um programa do Governo Federal que os municípios optam por aderir. O município de Mossoró aderiu ao programa no ano passado com 29 unidades de saúde. Elas passam por uma avaliação, e os servidores devem receber um incentivo de acordo com o resultado. Esses valores deveriam estar sendo pagos desde janeiro deste ano", explica o sindicalista.

Os valores do incentivo pago pelo programa variam de acordo com o resultado obtido na avaliação e com o cargo do servidor. Na categoria regular, os valores variam de R$ 100 a R$ 240. Na categoria bom, a variação é de R$ 300 a R$ 720. Já na avaliação de ótimo, os valores vão de R$ 400 a R$ 1.200.

Segundo João Morais, o fato de não pagar o incentivo aos servidores trata-se de apropriação indébita. "As unidades já avaliadas já tiveram os valores repassados pelo governo federal. Isso quer dizer que a Prefeitura se apropriou desse dinheiro porque não repassou para os servidores. O Executivo municipal precisa com urgência enviar um projeto de lei para a Câmara Municipal de Mossoró (CMM) para autorizar o pagamento retroativo a janeiro de 2013", esclarece.

O Sindsaúde/RN irá convocar uma assembleia para o dia 1º de novembro para discutir os encaminhamentos do caso com a categoria. "A lista dos servidores e os valores devidos chegaram agora às mãos do sindicato. Vamos decidir com a categoria o que iremos fazer. Podemos optar por uma ação judicial, pressão sobre a Prefeitura ou até mesmo denúncia ao Ministério Público", destaca.

A equipe de reportagem do jornal O Mossoroense tentou entrar em contato com a secretária municipal da Saúde, Jaqueline Amaral, e sua assessoria. No entanto, não obteve êxito. O mesmo aconteceu com o secretário municipal de Comunicação, Julierme Torres.

Fonte: O Mossoroense – 24/10/2013

domingo, 20 de outubro de 2013

Ato do Sindsaúde em Mossoró

SERVIDORES VÃO PROTESTAR CONTRA TRANSFERÊNCIA NO HOSPITAL RAFAEL FERNANDES 

A governadora do RN, Rosalba Ciarlini (DEM), determinou a transferência de 21 servidores do Hospital Rafael Fernandes para o Hospital da Mulher, em Mossoró. Foram transferidos um fisioterapeuta, sete enfermeiros, dez técnicos de enfermagem, dois técnicos de manutenção e um maqueiro. Essa transferência vai gerar prejuízo financeiro para os trabalhadores e fragilizar ainda mais o atendimento no Hospital Rafael Fernandes, referência no tratamento de doenças infectocontagiosas. 

Além disso, a unidade hospitalar se arrasta numa reforma interminável que reduziu o número de leitos. O Sindsaúde de Mossoró é contra essa medida da governadora e tem realizado protestos na cidade. O próximo será nesta terça-feira (dia 22), às 8 horas, no Hospital Rafael Fernandes.

PT privatizando o petróleo

Dilma pretende privatizar nossas riquezas minerais    


Deu na Imprensa - mobilização

Sindsaúde protesta contra a transferência de servidores do Hospital Rafael Fernandes

Ocorreu na manhã de ontem um protesto em frente ao Hospital Rafael Fernandes. Cerca de 50 funcionários se manifestaram contra a transferência de 21 servidores do Hospital Rafael Fernandes (HRF) para o Hospital da Mulher Parteira Maria Correia, determinada pelo Governo do Estado.

Segundo informações do Sindicato dos Servidores da Saúde (Sindsaúde-RN), foram transferidos um fisioterapeuta, sete enfermeiros, dez técnicos de enfermagem, dois técnicos de manutenção e um maqueiro. De acordo com os manifestantes, a transferência acarretaria em prejuízo financeiro para os servidores.

João Morais, coordenador regional do Sindsaúde, informou que, além da questão da transferência, outros pontos são discutidos pelos servidores. O andamento das obras do HRF, que caminha a passos lentos, é um dos principais questionamentos da categoria, além da busca por melhores condições de trabalho nas instalações do hospital, que é uma pauta recorrente.

"Percebemos várias irregularidades na forma como foi gerida essa transferência, não houve diálogo com os servidores. Não se pode simplesmente mudar funcionários que já têm anos de prestação de serviço em um local para outro que oferece tratamento completamente diferente", comentou o sindicalista, que completou afirmando que até servidores que estão próximos da aposentadoria foram selecionados, sem nenhum critério definido para a transferência.

De acordo com o representante do sindicato, as manifestações não irão se encerrar até que o governo dialogue com os funcionários. João Morais adianta que outro ato acontecerá na próxima terça-feira, quando os servidores sairão em caminhada rumo à Câmara Municipal de Mossoró (CMM).

Fonte: O Mossoroense – 19/10/2013

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Deu na Imprensa - Vídeo

Governo do Estado transfere servidores do Hospital Rafael Fernandes para o Hospital da Mulher 


Fonte: TCM

Deu na Imprensa

Governo determina transferência de 21 servidores do Hospital Rafael Fernandes

O Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), determinou a transferência de 21 servidores do Hospital Rafael Fernandes para o Hospital da Mulher Parteira Maria Correia. Na decisão do Executivo estadual, foi considerado que o Judiciário determinou que o Estado assuma a gestão da unidade materno-infantil, além da reforma no hospital de referência no tratamento de doenças infectocontagiosas.

No total, foram transferidos um fisioterapeuta, sete enfermeiros, dez técnicos de enfermagem, dois técnicos de manutenção e um maqueiro. Para denunciar a mudança dos profissionais, o Sindicato dos Trabalhadores da Saúde do Rio Grande do Norte (Sindsaúde/RN) irá promover amanhã um ato público, a partir das 9h, em frente ao Hospital Rafael Fernandes.

Para o sindicato, várias questões se colocam com a transferência desses profissionais, tais como: proximidade de conclusão da reforma da unidade, comprometimento da assistência prestada a pacientes em estado grave, prejuízo financeiro acarretado pela mudança de lotação do servidor, inexistência de formação específica dos servidores na assistência materno-infantil, inexistência de discussão prévia com os servidores e precarização da assistência prestada pela unidade.

Em reunião realizada pelo Sindsaúde/RN com os servidores, foram propostos os seguintes pontos: agilidade na conclusão da reforma física do Hospital Rafael Fernandes, aumento do número de leitos, reequipar a unidade em relação ao apoio diagnóstico e poder de resolutividade, discutir redimensionamento de recursos humanos, otimizar serviços existentes na unidade, além da divulgação do hospital como unidade de referência em doenças infectocontagiosas para as regiões Oeste e Alto Oeste do Estado.

Ainda na reunião, os profissionais atingidos pela medida do Governo do Estado decidiram que, enquanto não forem avaliadas essas questões, eles irão continuar exercendo suas atribuições no Hospital Rafael Fernandes.

Fonte: O Mossoroense – 17/10/2013

domingo, 13 de outubro de 2013

Luto: perdemos uma guerreira

Conceição Rodrigues – Adeus a uma eterna companheira de luta

O Sindsaúde de Mossoró e a categoria dos Agentes de Saúde da cidade sofreram uma grande perda na madrugada deste sábado (dia 12). A ex-diretora do sindicato e dedicada agente comunitária de saúde, Conceição Rodrigues, faleceu em decorrência de complicações do câncer de pulmão e fígado contra o qual lutava. Ceição, como era chamada pelos amigos e companheiros de luta, trabalhava na unidade de saúde do Abolição II. O corpo será velado hoje (13) e amanhã na Assistência Funerária Sempre, no Centro de Velório, em frente ao Tiro de Guerra. O sepultamento é nesta terça-feira, às 16 horas, no Cemitério Novo.

Conceição Rodrigues foi uma das mais aguerridas diretoras do Sindsaúde de Mossoró, respeitada pela categoria de agentes de saúde e também pela comunidade onde trabalhava. Sua disposição de lutar pelos direitos dos trabalhadores será sempre lembrada por todos. O Sindsaúde lamenta profundamente a perda de sua eterna companheira e deseja muita força aos amigos e familiares para seguir em frente. Ceição estará sempre presente. Os sonhos de liberdade e justiça para os trabalhadores nunca morrem.

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Deu na Imprensa - Prefeita cassada!

Cláudia Regina é afastada e vice-presidente da Câmara Municipal assume Prefeitura de Mossoró

Uma notícia de cassação da prefeita de Mossoró, Cláudia Regina, do DEM, não é novidade. Afinal, ela já foi cassada outras duas vezes só este ano. A novidade é que, na tarde de ontem, a juíza da 34ª zona eleitoral, Ana Clarisse Arruda, determinou não só a perda do mandato da chefe do Executivo municipal e do vice-prefeito, Wellington Filho, do PMDB, como decidiu também que isso teria efeito imediato. Ou seja: Cláudia Regina, na manhã de hoje, já não responde pela Prefeitura e ficará assim até que seja realizada uma nova eleição na cidade, onde ela não poderá concorrer por estar inelegível por oito anos.

Pelo menos, era essa a situação até o fechamento desta edição d’O Jornal de Hoje. A Justiça Eleitoral já havia notificado Cláudia Regina e Wellington Filho da decisão, afastando-os do cargo e, também, determinado à Câmara Municipal de Mossoró a posse imediata do chefe do Legislativo no cargo de prefeito até a realizada da nova eleição. “O presidente da Câmara, Francisco José Júnior (PSD), está viajando, então foi notificado o responsável pela Casa naquele momento, que era o vice-presidente Alex Moacir (PMDB). A Câmara ainda não se manifestou sobre o assunto, mas a decisão tem efeito imediato”, afirmou, por telefone, um servidor da 34ª zona eleitoral.

Claro que não foi fácil encontrar o vereador peemedebista que é, inclusive, do mesmo partido do vice-prefeito de Mossoró e apoiador da gestão de Cláudia Regina. Segundo relatos de fontes mossoroenses, vários vereadores “sumiram” na manhã de hoje, já com o intuito de não serem notificados e a Câmara não ter a obrigação de, imediatamente, cumprir a cassação.

Até porque, enquanto não marca a posse do novo prefeito, a Câmara dá tempo para que a defesa de Cláudia Regina recorra da decisão (no Tribunal Regional Eleitoral) e entre com uma liminar para que seja suspensa a sentença e ela possa responder ao recurso no cargo de prefeita.

“Esse afastamento imediato foi consequência do tipo da ação. Nas outras duas vezes que foi cassada, Cláudia Regina respondia a uma AIJE (Ação de Investigação Judicial Eleitoral). Agora foi diferente. Foi uma representação contra conduta vedada”, ressaltou o advogado Marcos Araújo, da coligação que foi encabeçada pela deputada Larissa Rosado e que foi derrotada para Cláudia Regina na última eleição. Araújo foi o autor da representação.

Como se tratou de outro tipo de ação, o efeito é imediato e a decisão – de afastamento da prefeita, inelegibilidade dela por oito anos, posse do presidente da Câmara e realização da nova eleição – não precisa, como nas AIJEs, ser confirmada no TRE. “Foram várias condutas vedadas consideradas, entre elas, principalmente, a utilização do avião oficial do Governo para levar a governadora Rosalba Ciarlini (DEM) para várias viagens à Mossoró para participar da campanha”, afirmou Marcos Araújo, ressaltando que a decisão “já era totalmente esperada”.

É importante lembrar que os abusos de poder econômico e político na campanha de Mossoró não chegam a ser, necessariamente, novidades. A prefeita Cláudia Regina já foi cassada três vezes pelo mesmo assunto. A única diferença é que, desta vez, a autora da decisão foi Ana Clarisse e não o juiz Herval Sampaio, que já cassou a prefeita duas vezes, pelos mesmos motivos.